Minimalismo

Quando ter menos é bom

O minimalismo surgiu na minha vida pelas roupas. Como já contei nesse post aqui, estava descontente com meu armário lotado, cheio de peças que não faziam sentido. Mas o que começou com uma insatisfação com o guarda-roupas, aos poucos, começou a influenciar todos os setores da minha vida.

É claro. A sensação de limpeza, organização e bem-estar que tive ao ver o meu guarda-roupa depois do “destralhe” me fez querer levar aquele sentimento a todos os cômodos da casa. E não só da casa. Assim como objetos, peças de roupa, livros, também acabamos acumulando relações que não nos faz crescer, compromissos que não gostamos e não nos faz feliz, acumulamos preocupações e sentimentos ruins. Tudo isso acaba afunilando em algum lugar. E geralmente a saúde paga o pato. Pessoas queridas bem próximas passaram por situações assim e os consultórios médicos e psicológicos estão lotados de gente que, não conseguindo dizer não para coisas que não as fazem bem, adoecem.

Tive sorte porque não precisei chegar a esse ponto para despertar, mas estava realmente muito frustada com o andar da carruagem. Conseguir abrir os olhos para um novo caminho tem feito com que minha vida tenha mais intenção. Ainda tenho muito pela frente, mas já me sinto realizada só de estar nesse processo. E estar aqui conversando com você sobre isso me faz muito, muito feliz.

Removendo da nossa vida o que não é essencial – coisas que não usamos, preocupações, falsas necessidades – faz com que nossa energia seja focada no que realmente importa e nos faz bem.

Ter menos nos leva a olhar para nossa vida com muito mais consciência, sem distrações. Aquela organização na cozinha vai levar muito menos tempo se você tem menos coisas. Você acaba não comprando por impulso porque vai saber exatamente onde colocar aquele objeto e se tem serventia. Para onde quer que você olhe tem coisas que você gosta. Isso faz um bem danado.

Porque às vezes ter menos significa mais. Muito mais.

4 Comentários

  • Reply
    Fabiola
    5 de outubro de 2015 at 15:48

    Adorei o texto, Nati. Certamente vai inspirar muitas pessoa com essa atitude, inclusive eu!

    • Reply
      Nati Grazziotin
      5 de outubro de 2015 at 17:21

      Esse é o meu objetivo Fabi! Que bom que gostou, significa muito pra mim :) Beijo!

  • Reply
    Bruna Melo
    5 de outubro de 2015 at 16:12

    Nati, to amando esse novo blog! Mto inspirador! Parabéns e muito sucesso! Beijo

    • Reply
      Nati Grazziotin
      5 de outubro de 2015 at 17:20

      Bruna querida! Muito obrigada! Te espero aqui mais vezes ;)

    Deixe uma resposta para Nati Grazziotin Cancelar Resposta