Bem Estar

Sobre doação

Tava conversando com umas amigas esses dias. Talvez a maternidade seja tão desafiadora porque tem muito a ver com doação. Em não pensar em si em primeiro lugar. Em primeiro pensar no outro – nos filhos – e depois na gente. E isso cansa, nos deixa exaustas já que não estamos acostumadas a isso. É ou não é?

Claro que tudo no início é mais intenso, mas desde que me tornei mãe não consegui fazer minhas unhas e meus cabelos estão quase sempre presos. Minhas roupas se resumem a pijamas ou no máximo um calça de moletom. Para escrever aqui pro blog a coisa fica ainda mais complicada, já que preciso estar tranquila para escrever e momentos de tranquilidade surgem quando o bebê está dormindo, e aí aproveito para tomar banho (como um bom banho se tornou essencial depois que ele nasceu!), comer, relaxar um pouco com o marido ou resolver alguma pendência.

Antes de ser mãe tudo girava em torno de mim e agora é tão, mas tão diferente! Talvez por isso a gente estranhe tanto esse início com um bebê em casa. Tudo muda em função deles e as alegrias são outras: colocar o bebê para dormir e ele engrenar no sono no berço? Vitória! Ele mamar e não vomitar tudo na roupa dele e na sua? Vitória também. Enfim, as prioridades mudam e as conquistas também.

ser mãe - minimallista

Um mês já se passou e junto com ele, muitos desafios pessoais. Tô tendo que aprender a não ser tão controladora e metódica já que não controlo mais nada na minha vida, tudo acontece em função do que o Valentin quer, e cada dia é um dia diferente, com desafios e dúvidas diversas. Se eu tentar procurar um padrão de mamadas, de sono, de qualquer coisa fico maluca, então a ideia é deixar as coisas irem acontecendo e não pirar com isso. Uma hora, acredito, que tudo se ajeita. Hein, mamães mais velhas? rs!

Bem, queria fazer esse desabafo por aqui, já que minha vida hoje se resume a ser mãe. Pretendo voltar com posts mais gerais sobre minimalismo, vida simples, bem estar, mas por enquanto é o que temos ;) Acho que vocês entendem, né?

E aí, como foi pra vocês essa história de se deixar um pouco – ou muito! – de lado para cuidar de um novo serzinho?  Alguma dica para essa nova mãe?

11 Comentários

  • Reply
    Taís Ribas
    18 de julho de 2016 at 23:01

    Nati, lendo esse post tive a sensação que era eu mesma escrevendo ( Teodora 48 dias). Estamos juntas nessa! ❤️

    • Reply
      Nati Grazziotin
      19 de julho de 2016 at 10:17

      Que bom que não estou sozinha, Taís! hehe
      beijinho na Teodora (adoro esse nome) :)

  • Reply
    RONISE
    19 de julho de 2016 at 05:40

    o primeiro mês é o mais difícil. depois do 3o. mês as mamadas dão uma espaçada (não sei você, mas eu amamentava a cada 1,5h praticamente), as coisas começam a acontecer em um ritmo meio padrão e você consegue começar a se organizar para fazer algumas coisas. a vida nunca mais volta a ser como antes, mas aos poucos a gente vai se reencontrando nessa nova vida.

    • Reply
      Nati Grazziotin
      19 de julho de 2016 at 10:27

      É, ele mama de 2h a 2h30min mais ou menos. Mas depende muito também.
      Como falei no texto não posso ainda tentar achar padrão porque cada dia é diferente. Pra me organizar pra dar uma saída tem que ser meio de última hora mesmo, me programar com muita antecedência pode não dar certo, hehe

  • Reply
    Ingue
    19 de julho de 2016 at 15:53

    Flor, é isso ai!!! Agora, depois de 3 anossss que tô começando a pintar unha e ter longos banhos. É bem assim. O 1° ano é o pior. Força. É de pirar, de deprimir mesmo, comparado a nosso life style anterior.
    Pior q depois do q perdi em abril, já quero começar tudo outra vez… e logo!!! Kkkk
    Devo estar maluca, pois ainda não durmo e amamento!!

    • Reply
      Nati Grazziotin
      20 de julho de 2016 at 16:44

      Ingue! Você amamenta até hoje? Me dá umas aulas? hehe Ai, tô sofrendo bastante com a pega, meus mamilos estão bem doloridos ainda, o Valentin é bem mamão e chupa demais e meio atrapalhado sabe? Essa madrugada cheguei a chorar de dor! E acabei tendo que dar complemento por não aguentar mesmo. Espero conseguir chegar até pelo menos os seis meses, não tá sendo fácil, mas não vou desistir! Li sobre um protetor de mamilo de silicone, você chegou a usar? Ah, não entendi, o que você perdeu em abril?

  • Reply
    Ingue
    19 de julho de 2016 at 15:54

    Ronise! Minha baby mamava de 45 em 45, depois 1h, depois de 2 em 2h… LD é loucura…e sou louca até hj!!

  • Reply
    Ana Paula
    21 de julho de 2016 at 23:32

    A gente aguarda suas postagens, Nati, está super desculpada, hehe. Parabéns pelo baby.

  • Reply
    Lívia
    16 de novembro de 2016 at 07:51

    Ola meninas… O tempo passa e me dou conta de que ser mãe, realmente é igual vídeo game, cada fase é mais difícil. Com suas delicias e dificuldades. Sou mãe de duas meninas. Uma de 4 anos, a madu e a Giovana de 2. É um desafio que nos impulsiona a sermos melhores obrigatoriamente. Um exercicio de superação. Por elas me tornei personal organizer, e finalmente me encontrei profissionalmente. Do caos a ordem, e tudo com a ajuda ou desajuda delas!!! Grande bj

    • Reply
      Nati Grazziotin
      1 de dezembro de 2016 at 09:17

      É verdade Lívia. E estar bem e realizada ajuda e muito a superar todas as dificuldades.
      A gente faz tudo por eles! Que bom que se encontrou profissionalmente, eu ainda estou no caminho ;)
      Beijos e obrigada pelo comentário!

    Deixe uma resposta para Lívia Cancelar Resposta