Minimalismo

Vamos falar sobre minimalismo?

Recentemente li alguns textos relacionando o minimalismo com falta de personalidade. Tudo porque o termo está na moda e tudo que vira modinha perde um pouco o sentido de ser. Por isso precisamos colocar os pingos nos is.

Não. Não sou nenhuma expert no assunto e nem pretendo ser. Sou apenas uma entusiasta, que encontrou no minimalismo uma maneira mais leve de levar a vida. E com um longo caminho a seguir.

Acontece que muita gente anda confundindo o termo minimalismo como um todo, e focando apenas naquela estética preta e branca. De fato, a estética minimalista pegou e hoje percebemos o sucesso que ela faz tanto na decoração, quanto no layout de blogs, por exemplo. E na moda, então? Nem se fala. Mas gente, vamos entender uma coisa? Pra ser minimalista ninguém precisa se vestir de preto, branco e cinza. Nem ter nenhuma camiseta listrada. Nem ser adepta do armário-cápsula.

O minimalismo vem de dentro pra fora. Se trata de remover aquelas coisas que não agregam na sua vida. De saber o que é essencial pra você e eliminar aquilo que não é. E isso é muito pessoal. Mesmo. Se cada pessoa é diferente da outra, como se limitar a um padrão estético? Impossível, gente.

Eu sempre fui básica. Era daquelas que na hora de sair de casa, quando dava aquela última checada no espelho, sempre eliminava alguma informação. Podia ser um acessório, uma cor, enfim, sempre deixava o look mais clean. Sempre gostei do lema menos é mais na hora de me produzir. Isso sempre esteve comigo. Mas se você não é assim – ama colocar mil acessórios, é fã de uma estampa bem colorida e prefere pecar pelo mais do que pelo menos – não quer dizer que o minimalismo não seja pra você.

Já falei nesse post aqui que ter menos é relativo. Aquilo que é supérfluo pra mim pode não ser pra você. E aí que entra um dos fatores mais importantes para uma vida com intenção, o auto-conhecimento. Se a gente não sabe quem é, do que gosta, quais são nossas prioridades, vamos vivendo como baratas tontas, sem objetivos e personalidade, em busca da próxima modinha a seguir.

Por isso meu conselho é, e isso serve pra mim mesma, vamos nos conhecer melhor, saber quais são os nossos gostos de verdade, que tipo de vida queremos levar. Se depois disso o minimalismo tiver a ver com você, siga em frente. Se não, não tem problema. O mundo é plural. Nós somos diferentes. E é justamente isso que faz tudo ser mais interessante.

O que vocês acham disso tudo?

15 Comentários

  • Reply
    Cândida Carneiro Bortolaz
    4 de maio de 2016 at 15:34

    Nati, perfeito, exatamente isso, adorei !!! bjo grande

  • Reply
    Fabiola
    4 de maio de 2016 at 22:38

    Nati, belo texto. Parabens! Cada pessoa e diferente, e cada um busca na essencia e vivencias as suas escolhas.

    • Reply
      Nati Grazziotin
      6 de maio de 2016 at 10:57

      Verdade, Fabi. Obrigada pelo comentário!
      Bom final de semana :)

  • Reply
    Suelen
    6 de maio de 2016 at 08:52

    Nati suas palavras foram muito bem colocadas e o que mais tocou meu coração e a questão de se conhecer isso é de suma importancia!!! Parabens amo seu blog s2

    • Reply
      Nati Grazziotin
      6 de maio de 2016 at 10:58

      Obrigada, Suelen! Saber disso me deixa muito feliz ;)
      Bjos!

  • Reply
    Déborah
    9 de maio de 2016 at 08:02

    Descobri que o minimalismo ja estava em minha vida antes de conhece-lo, apenas recentemente tive contato com o termo. Estou amando seus postes, estou aprendendo e me divertido bastante, parabéns pelo trabalho!

    • Reply
      Nati Grazziotin
      9 de maio de 2016 at 10:08

      Que bom Déborah! Obrigada pelo comentário!
      Bjos

  • Reply
    Susany Batista
    14 de maio de 2016 at 15:09

    Adorei o texto. Como você falou é preciso se conhecer para saber qual estilo de vida é adequado para você, seguir algo porque “todo mundo faz” não vai trazer a felicidade que você quer. Estou me encontrando no minimalismo e me sinto mais feliz.

  • Reply
    Priscila Fellet
    16 de maio de 2016 at 13:06

    Texto perfeito!
    Como dito nos comentários acima, o minimalismo está presente em minha vida antes mesmo de saber o que era isso. Agora que os conceitos estão claros, tudo fica mais fácil.
    Estou adorando o Minimallista!!!

    • Reply
      Nati Grazziotin
      16 de maio de 2016 at 17:39

      Que coisa boa ler isso, Priscilla! Espero que posso te ajudar mais e mais ;)

  • Reply
    Deborah
    1 de junho de 2016 at 12:32

    Muito bom o texto! O minimalismo realmente está na moda e acaba misturado e confundido por muita gente. \eu não sou minimalista. Até tento ser em alguns aspectos da minha vida, mas não sou igual a você por exemplo, que inconscientemente prefere as coisas mais clean. Eu preciso me planejar para ser minimalista, digamos assim.
    Mas acho super legal essa filosofia. :)
    Beijos
    http://www.vivendojunto.com.br

    • Reply
      Nati Grazziotin
      2 de junho de 2016 at 15:18

      Brigada Deborah! Que bom que gostou do texto. É bom pra gene pensar sobre né?
      Ah, que fofo teu blog, adorei as receitinhas e o post sobre NYC, também amo a cidade :)
      Bjos

  • Reply
    Entendendo o Minimalismo – Namastreta
    25 de maio de 2017 at 12:36

    […] “O minimalismo vem de dentro pra fora. Se trata de remover aquelas coisas que não agregam na sua vida. De saber o que é essencial pra você e eliminar aquilo que não é. E isso é muito pessoal. Mesmo. Se cada pessoa é diferente da outra, como se limitar a um padrão estético? Impossível, gente” – Autor […]

  • Deixe o seu comentário...